Natal, a cidade do Sol

Natal é a capital do estado do Rio Grande do Norte. Localizada na região nordeste do Brasil, é conhecida como a cidade do sol, pois durante o ano tem mais de 300 dias ensolarados.

Um dos pontos turísticos de Natal é a Fortaleza dos Reis Magos, marco inicial da cidade e recebeu esse nome em função da data de início da sua construção, 6 de janeiro de 1598, dia de Reis. As dependências da Fortaleza serviram como prisão por muitos anos. 

 
O acesso ao forte é feito por uma passarela, da praia ao passadiço e, a partir daí, através de uma arcada à direita, saindo para o corredor. Outra escada dá acesso ao aterro e ao portão para a praça.



Atualmente a Fortaleza apresenta planta poligonal irregular, erguida em alvenaria de pedra e cal. Em torno do aterro, no abrigo das muralhas, encontram-se dispostas a Casa de Comando, os Quartéis e os Depósitos; ao centro, ergue-se uma edificação de planta quadrangular, em dois pavimentos. No pavimento inferior, situa-se a capela, apresentando vãos em arco pleno e no superior, com acesso externo por uma escada em dois lances e através de uma porta, dispõe-se a Casa da Pólvora, coberta por uma cúpula piramidal. No aterro abre-se a cisterna. O lugar é muito interessante e vale a pena conhecer!
 



No caminho de entrada da Fortaleza dos Reis Magos é possível ver a ponte estaiada Newton Navarro, um dos cartões postais de Natal. 




Outro lugar imperdível é o Parque Turístico Ecológico Dunas de Genipabu. Localizado a cerca de 20 Km de Natal, o parque engloba praias, dunas maravilhosas e uma lagoa. É um dos mais famosos cartões-postais no nordeste brasileiro.
 





As dunas de Genipabu são móveis. A ação do vento, muito intensa no litoral do Rio Grande do Norte, move a areia de um ponto a outro, o que torna a paisagem sempre uma novidade.
Nas dunas ao redor da lagoa, temos atividades famosas: o “esquibunda” e o “aerobunda”, onde os interessados descem as dunas sentados até mergulhar nas águas da lagoa.
 
 
 
Para aqueles que gostam de mergulhar, vale a pena conhecer os parrachos de Maracajaú. 
Maracajaú é uma pequena vila de pescadores com aproximadamente 2.000 habitantes que tem hoje como sua principal atividade econômica o turismo para mergulho recreativo.
O banco de corais fica a cerca de 7 km da praia. É possível chegar de barco ou lancha.
 


 
Próximo a Maracajaú está Barra do Punaú, no município de Rio do Fogo, onde as águas do rio Punaú e do mar se encontram, num cenário deslumbrante, que já serviu de locação para vários comerciais de televisão.
O lugar é simplesmente fantástico com praias paradisíacas. Almoçamos muito bem no Restaurante do Punaú Praia Hotel. O diferencial é que você escolhe o prato na chegada e marca o horário para ser servido. Assim você pode sair para curtir o local e as atividades oferecidas e quando chegar, o almoço está pronto!
 



 
 
Em Natal ficamos hospedados no hotel Yak, localizado na praia dos artistas. É um hotel é confortável e próximo a vários restaurantes e lojas de artesanato. Possui duas piscinas e academia. O inconveniente é que o wifi só funciona na recepção do hotel.
 


 
 
 
 
A culinária de Natal é excelente, assim como em todo o nordeste brasileiro. Bem próximo ao nosso hotel está o restaurante “Casa do Matuto” de propriedade do cantor Sandro Becker (aquele da música “Julieta”). O lugar é bem agitado, tem forró ao vivo e a comida é muito boa.
 
 



 
 
 
Outro lugar que recomendo é  o restaurante “Terra do Camarão”. Tem música ao vivo e espaço para dançar entre um prato e outro. O camarão é muito bom e os pratos são bem servidos. Este restaurante tem um serviço de vans que te busca no hotel e te leva de volta após o jantar. O endereço é: Rua Poeta Joel Fernandes, 654 Ponta Negra – Natal/RN
 
 


 
 
Ainda falando da culinária, o que mais gostei durante minha passagem por Natal foi os bolinhos de macaxeira das tias Chica e Lúcia. Tem de dois sabores: camarão e carne de sol. Impossível dizer qual o mais gostoso. Ambos são MARAVILHOSOS! A primeira vez, fomos por indicação de um taxista. Depois voltamos várias vezes durante a semana. Além de comer no local ainda levava mais para comer mais tarde no hotel. Os bolinhos são vendidos no restaurante Marenosso, dentro do Centro de Turismo de Natal. 
 


 
O Centro de Turismo de Natal está localizado na divisa do bairro de Petrópolis com o bairro da RibeiraFaz parte do  Centro Histórico de Natal, sendo um dos mais importantes e conhecidos prédios da capital, estando localizado no alto de uma colina. Fica bem próximo ao hotel onde estávamos hospedados. 
O prédio foi construído por volta do século 19 Inicialmente sendo um abrigo para mendigos e um orfanato, posteriormente se tornou uma cadeia pública e finalmente em 1976 o prédio foi reformado e virou o centro de turismo da cidade.
Quando estiver entrando no local, pare e dê uma olhada para cima. O teto é recoberto por fuxicos.


O local tem 38 lojas de artesanato com artigos lindos e bons preços, tem também um espaço para festas e o famoso “forró-com-turista”. O endereço é Rua Aderbal de Figueiredo, 980 – Natal/RN.

 
 
 
Continuando nosso passeio por Natal visitamos o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), conhecido simplesmente como Barreira do Inferno. É uma base da Força Aérea Brasileira para lançamentos de figuetes. Fundada em 1965, se tornou a primeira base aérea de foguetes da América do Sul. Está localizada na Rota do Sol, no município de Parnamirim, a 12 km de Natal. É necessário agendar a visita. Site: www.clbi.cta.br
 


 
 
Por último vou falar do maior cajueiro do mundo que está situado na praia de Pirangi, a 12 km de Natal. A árvore cobre uma área de aproximadamente 8500 m², com um perímetro de aproximadamente 500 m e produz cerca de 70 a 80 mil cajus na safra, o equivalente a 2,5 toneladas. E seu tamanho é o equivalente a 70 cajueiros. 
É possível caminhar por dentro do cajueiro por passarelas. Também existe um mirante onde dá para ter uma maior noção do tamanho do cajueiro visto de cima. É realmente impressionante! 
Próximo ao cajueiro tem lojas com produtos como castanha-de-caju, suco de cajú, artesanato, etc. Recomendo o licor de cajú. É muito saboroso e me arrependi de não ter comprado mais.
 



 

Fique de olho:

 
  • Geralmente os passeios a Punaú e Maracajaú são feitos no mesmo dia, começando por Punaú.  As porções de comida servidas no almoço são generosas, então, se você for mergulhar, não exagere na comida.
 
  • Ficamos hospedados na praia dos artistas, mas eu particularmente não achei a praia muito boa para banho de mar. Ponta Negra é uma boa opção!

 

Alessandra Maróstica

Mãe, esposa, paulistana (da Mooca), fisioterapeuta, pianista e travelholic. Apaixonada por fotografia, gastronomia e por viver experiências culturais diferentes. Visitou 16 países e está sempre em busca do próximo destino.

Um comentário em “Natal, a cidade do Sol

  • 26 de abril de 2015 em 23:51
    Permalink

    O Brasil é um lugar de grandes riquezas naturais!

Os comentários estão desativados.